Pesquisa sobre Mulheres na indústria marítima desigualdade entre gêneros

O emprego feminino continua baixo em funções marítimas, de acordo com dados da IMO e da primeira pesquisa de mulheres no mar da WISTA. Mas a representação feminina é forte em alguns setores da indústria marítima. Em média, 29% da força de trabalho total do setor hoje é do sexo feminino e 39% das funcionárias estão em cargos de gerenciamento intermediário.

Os resultados sugerem que o acesso e a participação das mulheres são desiguais de setor para setor. Em alguns setores de serviços profissionais — direito marítimo, seguro marítimo, marketing e publicidade — as mulheres representam cerca de metade da força de trabalho pesquisada. No setor offshore, as empresas respondentes relataram uma representação feminina de cerca de 4%. Abastecimento, levantamento, pesca, construção naval e reboque, todos ficaram abaixo de 15%.

As mulheres ainda representam menos de 2% da força de trabalho marítima em todo o mundo, e a maior parte do total está concentrada na indústria de cruzeiros. As empresas respondentes com sede na China, o maior país marítimo do mundo, relataram uma média de apenas 0,14% (76 tripulantes do sexo feminino de um total de 54.211).

PUBLICIDADE

Navalshore


A WISTA e a IMO também entrevistaram 45 estados membros para saber mais sobre a situação das mulheres empregadas por agências governamentais. Os dados sugerem que, entre os empregadores marítimos, os governos ficam no meio do grupo. Nas autoridades marítimas nacionais dos estados membros da IMO, a representação feminina foi em média de cerca de 20%. Nas divisões de busca e salvamento, a participação foi menor em cerca de 10%. Em comparação, as mulheres representam 33% do pessoal diplomático nos mesmos países.

A IMO e a WISTA pretendem repetir a pesquisa e compilar relatórios futuros para medir o progresso e orientar os esforços de capacitação.

"Como um primeiro instantâneo, esta pesquisa fornece evidências de quanto trabalho ainda precisa ser feito. Mas também nos mostra onde existem alguns pontos positivos. A indústria marítima pode ver por si mesma quais setores estão avançando com a diversidade e que não são", disse a presidente internacional da WISTA, Despina Panayiotou Theodosiou.


Pesa

    AAPA     Jan de Nul     Antaq
             

Tche Digital

 

 

Hidromares

 

  Sinaval   Assine Portos e Navios