Wilson Sons avança em iniciativas de sustentabilidade com novos rebocadores

Os novos rebocadores, que entrarão em operação em 2022, serão equipados com uma solução pioneira que reduz os níveis de emissão de óxido de nitrogênio em mais de 75%

A Wilson Sons vem desenvolvendo uma série de ações para reduzir o impacto ambiental de suas operações na última década, contribuindo para o esforço global pelo equilíbrio do clima. O mais recente é a incorporação da norma IMO TIER III, que reduz em mais de 75% os níveis de emissão de óxidos de nitrogênio, nos quatro rebocadores da empresa que estão sendo construídos no estaleiro do Grupo no Guarujá. O custo total para implementar os padrões IMO Tier III é de US$ 290.000.

“O óxido de nitrogênio é um gás de efeito estufa, que pode ser 300 vezes mais poluente do que o próprio dióxido de carbono. O nível III é um grande diferencial desse projeto e mostra o quanto estamos na vanguarda da indústria naval brasileira”, afirma Rodrigo Bastos, diretor das operações da unidade de rebocagem.

O primeiro rebocador construído com esse padrão deve entrar em operação em fevereiro do ano que vem e o segundo em agosto. O projeto é desenvolvido pela Damen Shipyards, parceira da Wilson Sons há mais de 25 anos, e as embarcações terão 80 toneladas de bollard pull (TBP), com 25 metros de comprimento e 13 metros de largura, com notação de classe Escort Tug.


Logcomex


Com essa tecnologia, os novos rebocadores atenderão às exigências de algumas regiões dos mercados norte-americano e europeu, determinadas pela Organização Marítima Internacional (IMO) como áreas de controle de emissões. “A IMO, da qual o Brasil é signatário, vem avançando na estratégia de redução das emissões de gases de efeito estufa no setor marítimo. A Wilson Sons está sendo pioneira no Brasil no atendimento aos requisitos da norma Tier III, por não ser uma exigência para do território nacional, antecipando uma eventual regulamentação do país ”, explica Bastos.

Nesses projetos, a Wilson Sons também utilizará outra tecnologia pioneira no mercado, o "twin fin", conjunto de aletas que aumenta a capacidade de arrasto nas manobras e melhora o desempenho do rebocador. Com isso, para uma mesma tração, menos potência é exigida e, consequentemente, há redução no consumo de combustível e nas emissões. Outro aliado na proteção do meio ambiente é o Centro de Operações de Rebocagem (COR), que monitora o deslocamento dos rebocadores, definindo o melhor momento para a movimentação, controlando a velocidade e o consumo de combustível, com o objetivo de garantir maior eficiência, evitando desperdícios e, conseqüentemente, reduzindo as emissões de gases. Recentemente,

“A Wilson Sons já teve uma agenda forte em relação ao meio ambiente e sempre atuou para evitar o uso excessivo de combustíveis, além de participar de ações como o Projeto Praia Limpa e projetos como o Parque dos Naufrágios Artificiais de Pernambuco. O que está acontecendo agora é um um planejamento mais sólido, com foco no curto, médio e longo prazo ”, comenta o diretor.

    Terlogs     Mampaey     Antaq
             

Tche Digital

 

 

HPP

 

  Sinaval   Assine Portos e Navios