Cadeia logística de GNL no Brasil ainda esbarra em falta de demanda e de infraestrutura integrada

A cadeia logística de gás natural liquefeito (GNL) tem espaço para se desenvolver no Brasil. Os desafios, segundo analistas, passam por aumento de demandas do setor industrial e de investimentos em infraestrutura em terra e mar para conectar o processo da produção até a distribuição. Os especialistas percebem a atração de novos players a partir das mudanças recentes na legislação, com aparente interesse em soluções integradas para interiorizar o gás natural no país. Projetos de navios de regaseificação e de unidades flutuantes vêm ganhando espaço e encontrando suporte nos portos mais próximos. A viabilidade para exportação do GNL extraído no pré-sal ainda precisa de maturação de um modelo. Além disso, os grandes fornecedores globais estão atentos para aumentar a oferta de GNL a países europeus que querem alternativas para diminuir a dependência do gás russo, o que pode inflar os preços do gás no mercado mundial.

Restrito a assinantes


        GHT     Antaq
             

Tche Digital

 

 

Anuncie PN

 

  Sinaval   Assine Portos e Navios