Ecobrasil

Artigo - Gerenciamento das docagens e reparo - uma visão de negócio

A variedade de interesses, complexidade crescente das instalações, quantidade de atividades a serem desenvolvidas durante os períodos de parada das unidades e a pressão comercial para minimizar o tempo fora de contrato obriga a atividade de reparo naval a se inserir no ambiente do negócio e contemplar, além das demandas técnicas e operacionais, os variados requisitos contratuais e comerciais.

O sucesso na realização de reparos programados ou não, nesse contexto mais amplo, vai além do simples atendimento de uma lista de tarefas previamente acordada. O gerenciamento das docagens de forma estruturada passou a ser visto como um diferencial competitivo, e decisivo no desempenho das empresas.

As paradas de manutenção apesar de necessárias, representam uma interrupção nas operações e, portanto, devem ser otimizadas.

PUBLICIDADE

Ecobrasil


Assim, a implementação de técnicas de gestão nas docagens e reparos se apresenta como opção agregadora de conhecimento assegurando o atendimento das necessidades das partes interessadas na operação da unidade.

Este artigo tem como objetivo apresentar a aplicabilidade das práticas de gerenciamento de projetos, na reparação naval em especial nas docagens.

José Luiz Moore LustosaJosé Luiz Moore Lustosa é Oficial da Marinha Mercante

Acesso à versão integral do artigo em PDF - clique aqui

 

 

 

 

 

 

 



Praticagem

   ATP    GHT    abtp
       

Hidroclean

 

 

Países Baixos

 

  Sinaval   Assine Portos e Navios
       
       

© Portos e Navios. Todos os direitos reservados. Editora Quebra-Mar Ltda.
Rua Leandro Martins, 10/6º andar - Centro - Rio de Janeiro - RJ - CEP 20080-070 - Tel. +55 21 2283-1407
Diretores - Marcos Godoy Perez e Rosângela Vieira