Ecobrasil

Viridis Bulk Carriers ganha DNV AiP para projeto de navio graneleiro movido a amônia

A sociedade classificadora DNV concedeu à Viridis Bulk Carriers uma Aprovação em Princípio (AiP) para seu projeto de graneleiro marítimo de curta distância abastecido com amônia. O certificado foi apresentado durante a feira Nor-Shipping no estande da DNV.

Como a indústria marítima está tentando dobrar a curva de carbono para zero, a amônia verde é uma das opções mais promissoras. Como a produção é dimensionada, a facilidade de transporte e armazenamento e a boa densidade de energia oferecem algumas vantagens sobre outras opções de baixo ou zero carbono — desde que os desafios técnicos e de segurança sejam gerenciados. O projeto Viridis Bulk Carriers, desenvolvido pela Kongsberg Maritime, é para embarcações de curta distância de 5.000 dwt que oferecem um alcance (3.000 milhas náuticas) e níveis de segurança equivalentes a embarcações com combustível convencional.

“Estamos muito satisfeitos com mais um marco do nosso navio movido a amônia”, afirma André Risholm, conselheiro da Viridis Graneleiros. “Durante o processo AiP, tivemos um bom desenvolvimento construtivo e excelente cooperação com a DNV. Este é um testemunho claro do árduo trabalho realizado. Considerando as metas de redução de emissões definidas pela UE e IMO, nossas embarcações Viridis irão aderir totalmente a esses padrões. Isso permitirá que os afretadores se beneficiem de reduções excepcionais de gases de efeito estufa em toda a sua cadeia de valor logístico”, disse o executivo.

PUBLICIDADE

Ecobrasil


"Estamos extremamente orgulhosos de anunciar a concessão bem-sucedida da Aprovação em Princípio (AiP) para o projeto inovador da Viridis Graneleiros", disse Tuva Flagstad-Andersen, gerente regional da Região Norte da Europa na DNV. "A DNV introduziu a notação Gas Fueled Ammonia para permitir que a indústria promova a inovação e impulsione soluções sustentáveis de acordo com os padrões mais avançados da indústria. Isso é essencial para uma adoção mais ampla, porque construir confiança é vital quando procuramos desenvolver a próxima geração de combustíveis. Com esses projetos, demonstramos como, ao trabalhando em colaboração, podemos moldar o futuro da navegação e avançar em direção a um amanhã descarbonizado e sustentável", completou Flagstad-Andersen.

Uma Aprovação em Princípio (AiP) é uma avaliação independente de um conceito dentro de uma estrutura acordada, confirmando que o projeto é viável e que não existem obstáculos significativos para impedir que seja realizado.



Praticagem

   ATP    GHT    Oceanpact
       

Hidroclean

 

 

Países Baixos

 

  Pesa   Assine Portos e Navios
       
       

© Portos e Navios. Todos os direitos reservados. Editora Quebra-Mar Ltda.
Rua Leandro Martins, 10/6º andar - Centro - Rio de Janeiro - RJ - CEP 20080-070 - Tel. +55 21 2283-1407
Diretores - Marcos Godoy Perez e Rosângela Vieira