Navalshore 2024

Artigo - Como as empresas podem mitigar o risco durante uma crise na cadeia de suprimentos?

Adrián Sánchez

O recente lockdown da China e a evolução das sanções relacionadas à Rússia alteraram significativamente as cadeias de suprimentos globais. De varejistas e setor automotivo a agricultura e indústria, a redução dos principais suprimentos da Europa Oriental, Rússia e China afetou negativamente o movimento de mercadorias em todo o mundo, levando ao aumento dos custos de produtos e serviços.

As empresas internacionais também cumprem severas sanções econômicas e controles de exportação impostos pela Europa, EUA e outras jurisdições, que desaceleraram ainda mais o fluxo de bens e fundos dentro e fora da Europa central. O gerenciamento adequado da cadeia de suprimentos, desde a aquisição de matérias-primas até a entrega do produto ao seu destino final, tornou-se uma questão importante para as organizações em todo o mundo.

PUBLICIDADE


A maioria das sanções inclui restrições ao transporte de bens de uso duplo que podem ser usados para fins civis e militares, como drones e software de drones, dispositivos de criptografia, maquinário pesado, tecnologia de refino de petróleo e produtos aeronáuticos. O Departamento de Comércio dos EUA e a União Europeia alertam que esses produtos podem ser usados para a produção de armas para fins terroristas biológicas, químicas ou nucleares.

Além disso, a Interpol alertou que, quando a guerra na Ucrânia terminar, muitas armas e materiais de guerra que chegaram de vários países para ajudar aquele país a combater a invasão russa poderão ser transferidos para o crime organizado.

É de vital importância que as empresas entendam todos os pontos de contato em suas cadeias de suprimentos e seus relacionamentos com terceiros para garantir que não estejam vinculadas a organizações criminosas transnacionais que traficam armas e materiais de guerra.

Embora muitos países latino-americanos não tenham aderido às sanções do G7 contra o governo e as empresas russas, isso não isenta as empresas da região da responsabilidade de negociar direta ou indiretamente com eles.

A razão é clara: muitas empresas latino-americanas têm ativos financeiros nos EUA ou na Europa e parte de suas transações comerciais em cadeias de suprimentos passam pelos sistemas comerciais ou bancários dos países sancionados. Da mesma forma, as empresas latino-americanas devem realizar a due diligence para evitar que parceiros de negócios tenham qualquer relação comercial com empresas sancionadas, o que poderia alterar as cadeias de suprimentos.

A pandemia e o conflito russo levaram a cancelamentos ou desvios de voos e o setor aéreo ainda não se recuperou totalmente. Isso está pressionando a capacidade de carga e o efeito cascata está causando o fechamento de fábricas na Europa, Ucrânia e Rússia, ao mesmo tempo em que levanta preocupações sobre futuras interrupções na cadeia de suprimentos e sobrecarrega os estoques globais de commodities.

Como resultado de problemas na cadeia de suprimentos e sanções em evolução, as empresas são forçadas a se tornar mais conscientes do risco potencial de lavagem de dinheiro ou envolvimento em outras atividades ilegais nas quais seus parceiros de negócios, fornecedores, clientes e fornecedores possam estar envolvidos.

Como as empresas podem mitigar os riscos durante essa crise da cadeia de suprimentos?

Obtenha insights sobre terceiros em tempo real. Use sistemas automatizados que fornecem informações de fornecedores, clientes e outros parceiros de negócios para obter uma visão holística das redes de terceiros.

Personalize as pontuações de risco para avaliar as áreas de preocupação. Defina pontuações de risco em sistemas de análise para identificar rapidamente possíveis problemas ou áreas de preocupação específicas de acordo com as necessidades de cada organização.

Fique atento a riscos potenciais e tendências emergentes. Solicite aos provedores de tecnologia um painel de monitoramento de parceiros terceirizados e clientes para observar rapidamente possíveis riscos de terceiros para abordar e identificar quaisquer tendências de risco emergentes das quais os parceiros de negócios e as entidades dependem.

Correção de alerta. Defina um limite para escalar alertas e atenue as preocupações mais urgentes da organização com alertas personalizados e relatórios de acompanhamento.

As cadeias de suprimentos não são apenas afetadas por pandemias e conflitos, elas podem ser usadas pelo crime organizado transnacional para lavagem de dinheiro, tráfico de material de guerra e financiamento do terrorismo. A boa notícia é que a tecnologia e os dados estão disponíveis e podem ser personalizados para ajudar a mitigar esses riscos com base nas necessidades de cada empresa.

Adrián Sánchez é diretor de compliance de crimes financeiros LATAM, LexisNexis Risk Solutions



Intermodal

      GHT    Antaq
       

 

 

Anuncie PN

 

  Sinaval   Assine Portos e Navios
       
       

© Portos e Navios. Todos os direitos reservados. Editora Quebra-Mar Ltda.
Rua Leandro Martins, 10/6º andar - Centro - Rio de Janeiro - RJ - CEP 20080-070 - Tel. +55 21 2283-1407
Diretores - Marcos Godoy Perez e Rosângela Vieira