MSC

Artigo - A relevância da temperatura no transporte de líquidos a granel

Existe uma importante movimentação de líquidos combustíveis entre Rondonópolis/MT e Paulínia/SP, realizada por via férrea e que envolve milhões em investimentos. Devido a grande variação de temperatura que há entre as duas cidades, pode acontecer uma percepção de subutilização dos ativos.

Entre chegadas e partidas, movimenta-se 16 diferentes produtos e, dentre eles, álcool, gasolina e óleo diesel. Estes líquidos, como outros materiais, são suscetíveis a variação de volume em função da variação de temperatura. Isto porque, a temperatura é uma grandeza física que mede a energia cinética (agitação) média translacional, rotacional e vibracional dos átomos e moléculas que constituem um corpo.

Quanto maior for a agitação das moléculas, maior será a sua temperatura e, à uma pressão constante, maior será o volume necessário para acomodar todas estas partículas.

PUBLICIDADE

Ecobrasil


Este estudo estima a variação média de volume, nesta configuração de origem/destino, do carregamento/transporte/descarga do álcool 91% m/m, durante certo período deste ano.

Dennis CacetaDennis Caceta é engenheiro e consultor empresarial, especialista em gestão de projetos, análise de negócios e melhoria contínua, atuante há 25 em logística e operações, sobretudo nos maiores portos e terminais portuários brasileiros, realizando simulações e estudos que suportam as decisões de investimentos em infra e em superestrutura

Acesso à versão integral do artigo em PDF - clique aqui

 

 

 

 

 

 



Praticagem

   ATP    GHT    Oceanpact
       

Hidroclean

 

 

Países Baixos

 

  Pesa   Assine Portos e Navios
       
       

© Portos e Navios. Todos os direitos reservados. Editora Quebra-Mar Ltda.
Rua Leandro Martins, 10/6º andar - Centro - Rio de Janeiro - RJ - CEP 20080-070 - Tel. +55 21 2283-1407
Diretores - Marcos Godoy Perez e Rosângela Vieira