Faltam estratégias para que o segmento de óleo e gás brasileiro avance diante de um mercado volátil

Transição energética, descarbonização das atividades marítimas e portuárias, operações mais direcionadas a águas profundas, além da navegação de embarcações de maior porte, são alguns dos principais desafios do setor offshore no Brasil. Embora em menor nível na comparação com outros segmentos da economia, também foi impactado pela crise sanitária decorrente da pandemia de Covid-19, nos últimos dois anos e meio. Os números dessa indústria falam por si, conforme indica a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP): o Brasil ocupa o oitavo lugar no ranking entre os principais produtores de petróleo do mundo e o décimo entre os exportadores desse insumo e seus derivados.

Restrito a assinantes


        GHT     Antaq
             

Tche Digital

 

 

Anuncie PN

 

  Sinaval   Assine Portos e Navios