MSC

Petrobras encomenda sétimo FPSO para o Campo de Búzios

A Petrobras encomendou FPSO ao estaleiro Keppel, de Cingapura, naquela que será a sétima unidade FPSO instalada no campo de Búzios, na Bacia de Santos.

A FPSO, que se chamará P-78, terá capacidade de processamento de 180 mil barris de óleo por dia e 7,2 milhões de metros cúbicos de gás por dia. Espera-se que a Keppel entregue o FPSO no final de 2024. Keppel disse que o valor do pedido foi de US$ 2,3 bilhões.

A Keppel O&M construirá os módulos pesando 43.000 toneladas métricas em seus estaleiros em Cingapura, China e Brasil, bem como realizará os trabalhos de integração e comissionamento do FPSO.

A Hyundai Heavy Industries Co., Ltd. (HHI), parceira da Keppel O&M, fornecerá o casco de 85.000 MT e os alojamentos para 240 pessoas. Após a conclusão, o FPSO transitará para o campo de Búzios, onde a Keppel O&M fará a fase final dos trabalhos de comissionamento offshore.


Rimac


“O fornecimento do FPSO será resultado da modalidade de contratação EPC (engenharia, suprimento e construção) e da estratégia da Petrobras de desenvolver novos projetos para plataformas próprias, incorporando as lições aprendidas com os FPSOs já instalados no pré-sal, inclusive aspectos de contratação e construção ", disse a Petrobras.

Keppel em conversas com a Petrobras para construir FPSO para o campo de Búzios

O contrato prevê o cumprimento do conteúdo local de 25%, com serviços a serem executados no Brasil por meio de parceria ou subcontratação de empresas nacionais. O índice de conteúdo local é uma exigência definida na pré-qualificação pública e comprometida pela ANP para o excedente de cessão de direitos do campo de Búzios, informou a Petrobras.

O projeto terá 13 poços interligados ao FPSO, sendo 6 produtores e 7 injetores, por meio de uma infraestrutura submarina composta por dutos rígidos de produção e injeção e dutos de serviços flexíveis.

O campo de Búzios, descoberto em 2010, é descrito como o maior campo de petróleo em águas profundas do mundo. Até o final da década, Búzios deve ter produção diária acima de 2 milhões de barris de óleo equivalente por dia, tornando-se o ativo da Petrobras com maior produção.

Atualmente, são quatro unidades operando em Búzios, que respondem por mais de 20% da produção total da Petrobras. A quinta e a sexta plataformas (FPSOs Almirante Barroso e Almirante Tamandaré) estão em construção, e a oitava e a nona unidades (FPSOs P-79 e P-80) estão em processo de contratação.

De acordo com o World Energy Reports, a Petrobras planeja ter 12 FPSOs em operação em Búzios até o final da década. Em fevereiro, a estatal assinou uma carta de intenções com a fornecedora holandesa de FPSO SBM Offshore para a entrega do que será o sexto FPSO a ser implantado no campo de Búzios, na Bacia de Santos.

A SBM Offshore será responsável pela engenharia, aquisição, construção, instalação e operação do FPSO, a ser denominado FPSO Almirante Tamandaré. O contrato de arrendamento e operação é de 26,25 anos.

O FPSO será a maior unidade produtora de petróleo em operação offshore no Brasil e uma das maiores do mundo, com capacidade diária de processamento de 225 mil barris de óleo e 12 milhões de m3 de gás. A entrega do FPSO está prevista para o segundo semestre de 2024.

Em 30 de abril, a Petrobras deu início à licitação para aquisição do nono FPSO para operar no campo de Búzios .





Cash Computadores

Allonda

Ecobrasil

Priner fundo transp Terlogs
  Mampaey     Assine Portos e Navios

  Antaq

 

 

  Sobena

 

Tche Digital

 

 

Catálogo da Indústria Marítima

 

Sinaval   CBO