Compra de draga vai dar ao governo autonomia em projetos para o Litoral

O governador Roberto Requião fez, durante a Escola de Governo desta terça-feira (15), um breve relato sobre o andamento do processo de aquisição de uma draga para atender os portos de Paranaguá e Antonina e outras demandas do Litoral do Estado como, por exemplo, a recuperação da orla de Matinhos. O governador lembrou que, em recente viagem à China, um grupo de técnicos realizou a vistoria nas duas embarcações classificadas na concorrência internacional promovida pela Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa). A vistoria in loco estava prevista no edital de licitação. O investimento em uma draga própria, destacou Requião, irá assegurar ao governo do Estado, autonomia nos projetos do Litoral, além de representar uma significativa economia aos cofres públicos. “Para fazer a mais recente dragagem, no Porto de Paranaguá, nós pagamos R$ 29 milhões. E o preço orçado para a dragagem, que vai engordar as praias de Caiobá e Matinhos, basicamente, é de cerca de R$ 8 milhões. Então, nós teremos, só em um serviço rápido de dragagem no Litoral, um custo de R$ 37 milhões. Nós estamos comprando um fantástico navio draga chinês por cerca de R$ 40 milhões”, comparou o governador. As dragas classificadas na concorrência internacional estão nos portos de Lin Haie Xi Pu, localizados, respectivamente, nas províncias chinesas de Zhejiang e Ningbo. Participaram das visitas técnicas às dragas o superintendente da Appa, Daniel Lúcio Oliveira de Souza, o presidente do Conselho de Autoridade Portuária (CAP) de Paranaguá, Martinho Cândido Velloso dos Santos, um inspetor do Tribunal de Contas do Estado (TCE), dois funcionários da Appa, que integram a Comissão Especial de Licitação, e dois técnicos de uma sociedade classificadora – entidade reconhecida pela Marinha do Brasil para atuar na certificação de embarcações. De acordo com o superintendente da Appa, estão sendo elaborados relatórios das vistorias das dragas: um técnico pela sociedade classificadora e outro pela Comissão Especial de Licitação. Esses documentos embasarão o resultado do processo licitatório e serão, posteriormente, encaminhados ao governador para homologação da concorrência. “Em janeiro deste ano, o governador havia determinado a aquisição de uma draga própria e nós, felizmente, estamos às vésperas de cumprir essa determinação, gerando a independência dos portos paranaenses nos projetos de manutenção dos seus canais de navegação. Esse é um modelo que o Brasil está observando e que, sem dúvida nenhuma, seguirá o Paraná”, afirmou Daniel de Souza.(Fonte: Agência Estadual de Notícias)


Pesa

        Jan de Nul     Antaq
             

Tche Digital

 

 

Anuncie PN

 

  Sinaval   Assine Portos e Navios