MSC

Segundo patrulha é incorporado

Marinha do Brasil incorpora o Apa em cerimônia na base naval de Portsmouth, no Reino Unido

O navio-patrulha oceânico Apa foi incorporado à Armada no último dia 30 de novembro. A cerimônia foi presidida pelo chefe do Estado-Maior da Marinha do Brasil, almirante-de-Esquadra Fernando Eduardo Studart Wiemer, nas dependências da base naval de Portsmouth, no Reino Unido. A embarcação foi projetada e construída para atender às necessidades de fiscalização de áreas marítimas extensas. Devido à autonomia e capacidade de operar com helicóptero e duas lanchas, o navio contribuirá com os demais navios da Marinha do Brasil na proteção e fiscalização da Amazônia Azul.


Logcomex


Mick Ord, diretor executivo da área de Navios de Marinha da BAE Systems Maritime, declarou: “É com grande orgulho que entregamos hoje o Apa. É um navio de grande capacidade e será um grande ativo para a Marinha Brasileira. Nosso foco agora é conferir suporte à tripulação, por meio de um rigoroso programa de treinamento, antes da partida do Apa para o Brasil, em fevereiro, onde, na sua chegada, se reunirá à frota brasileira e a seu irmão, o Amazonas. Vemos, com otimismo, a oportunidade de fortalecer ainda mais esta relação tão antiga que forjamos com o Brasil, à medida que continuamos trabalhando juntos no progresso deste importante programa entre nossos países, e na entrega do terceiro navio, Araguari, no próximo ano.”

“A entrega do Apa vai reforçar ainda mais nossa capacidade de garantir proteção e segurança para as águas territoriais brasileiras. Juntamente com o Amazonas, que já faz parte da frota baseada no distrito naval do Rio de Janeiro, o Apa é, sem dúvida, mais um importante reforço para a Marinha Brasileira, disse, o almirante Francisco Deiana, diretor de engenharia naval da Marinha.

A equipe da BAE Systems conseguiu fazer a entrega do segundo navio no espaço de um ano, após a assinatura do contrato de £133 milhões, prevendo o fornecimento de três navios-patrulha oceânicos e os respectivos serviços de suporte.  A tripulação passará agora por um rigoroso programa de treinamento, incluindo áreas como práticas náuticas, componentes eletrônicos e propulsão.  A seguir, o navio partirá rumo a Plymouth, em janeiro, para treinamento Fost (Flag Officer Sea Training), incluindo treinamento em navegação e vigia, além de desenvolvimento e familiarização dos procedimentos operacionais de segurança.

Após a incorporação à Marinha, o Apa será preparado para navegar em direção ao Brasil, o que está previsto para ocorrer a partir da segunda quinzena de fevereiro. Em uma viagem de dois meses, o navio partirá de Portsmouth e passará por Portugal, Espanha, Mauritânia, Senegal, Angola, e Namíbia, quando finalmente chega a Rio Grande, no Rio Grande do Sul. A chegada ao porto final, Rio de  Janeiro, está prevista para a primeira quinzena de maio.

Com 90,5 metros de comprimento e boca máxima de 13,5 metros, o navio atinge velocidade máxima de 25 nós. Construído pela empresa BAE Systems Maritime – Naval Ships, a embarcação recebeu o nome Apa, em alusão a um rio brasileiro. Sua construção foi iniciada em setembro de 2008, com o batimento de quilha em fevereiro de 2009. Lançado ao mar em novembro de 20O navio-patrulha oceânico Apa foi incorporado à Armada no último dia 30 de novembro. A cerimônia foi presidida pelo chefe do Estado-Maior da Marinha do Brasil, almirante-de-Esquadra Fernando Eduardo Studart Wiemer, nas dependências da base naval de Portsmouth, no Reino Unido. A embarcação foi projetada e construída para atender às necessidades de fiscalização de áreas marítimas extensas. Devido à autonomia e capacidade de operar com helicóptero e duas lanchas, o navio contribuirá com os demais navios da Marinha do Brasil na proteção e fiscalização da Amazônia Azul.

Mick Ord, diretor executivo da área de Navios de Marinha da BAE Systems Maritime, declarou: “É com grande orgulho que entregamos hoje o Apa. É um navio de grande capacidade e será um grande ativo para a Marinha Brasileira. Nosso foco agora é conferir suporte à tripulação, por meio de um rigoroso programa de treinamento, antes da partida do Apa para o Brasil, em fevereiro, onde, na sua chegada, se reunirá à frota brasileira e a seu irmão, o Amazonas. Vemos, com otimismo, a oportunidade de fortalecer ainda mais esta relação tão antiga que forjamos com o Brasil, à medida que continuamos trabalhando juntos no progresso deste importante programa entre nossos países, e na entrega do terceiro navio, Araguari, no próximo ano.”

“A entrega do Apa vai reforçar ainda mais nossa capacidade de garantir proteção e segurança para as águas territoriais brasileiras. Juntamente com o Amazonas, que já faz parte da frota baseada no distrito naval do Rio de Janeiro, o Apa é, sem dúvida, mais um importante reforço para a Marinha Brasileira, disse, o almirante Francisco Deiana, diretor de engenharia naval da Marinha.

A equipe da BAE Systems conseguiu fazer a entrega do segundo navio no espaço de um ano, após a assinatura do contrato de £133 milhões, prevendo o fornecimento de três navios-patrulha oceânicos e os respectivos serviços de suporte.  A tripulação passará agora por um rigoroso programa de treinamento, incluindo áreas como práticas náuticas, componentes eletrônicos e propulsão.  A seguir, o navio partirá rumo a Plymouth, em janeiro, para treinamento Fost (Flag Officer Sea Training), incluindo treinamento em navegação e vigia, além de desenvolvimento e familiarização dos procedimentos operacionais de segurança.

Após a incorporação à Marinha, o Apa será preparado para navegar em direção ao Brasil, o que está previsto para ocorrer a partir da segunda quinzena de fevereiro. Em uma viagem de dois meses, o navio partirá de Portsmouth e passará por Portugal, Espanha, Mauritânia, Senegal, Angola, e Namíbia, quando finalmente chega a Rio Grande, no Rio Grande do Sul. A chegada ao porto final, Rio de  Janeiro, está prevista para a primeira quinzena de maio.

Com 90,5 metros de comprimento e boca máxima de 13,5 metros, o navio atinge velocidade máxima de 25 nós. Construído pela empresa BAE Systems Maritime – Naval Ships, a embarcação recebeu o nome Apa, em alusão a um rio brasileiro. Sua construção foi iniciada em setembro de 2008, com o batimento de quilha em fevereiro de 2009. Lançado ao mar em novembro de 2009, o navio teve sua construção finalizada em julho de 2010.

A BAE Systems é uma empresa global que atua nos segmentos de segurança, defesa, e aeroespacial com aproximadamente 94 mil funcionários em todo o mundo. A companhia fornece uma linha completa de produtos e serviços para forças aéreas, terrestres e navais, bem como soluções avançadas em eletrônica, segurança, tecnologia da informação e serviços de suporte a clientes. Em 2011, a BAE Systems alcançou vendas no valor de £19.2 bilhões, cerca de US$ 30.7 bilhões.  n09, o navio teve sua construção finalizada em julho de 2010.

A BAE Systems é uma empresa global que atua nos segmentos de segurança, defesa, e aeroespacial com aproximadamente 94 mil funcionários em todo o mundo. A companhia fornece uma linha completa de produtos e serviços para forças aéreas, terrestres e navais, bem como soluções avançadas em eletrônica, segurança, tecnologia da informação e serviços de suporte a clientes. Em 2011, a BAE Systems alcançou vendas no valor de £19.2 bilhões, cerca de US$ 30.7 bilhões.  n

    Terlogs     Mampaey     Antaq
             

Tche Digital

 

 

HPP

 

  Sinaval   Assine Portos e Navios