Navalshore

Capitania providencia retirada de óleo do navio turco

As 160 toneladas de óleo existentes nos tanques do navio Düden, de bandeira turca, serão retiradas da embarcação, numa operação que está sendo preparada pela Capitania dos Portos do Rio Grande do Sul. Preocupada em eliminar qualquer risco de poluição hídrica, a Marinha vai promover a retirada por conta própria, com apoio de empresas especializadas. O navio tanque "Guarapuava", da Navegação Guarita, foi contratado para recolher o óleo, e ontem já atracou a contrabordo do Düden visando aos preparativos para a retirada das 120 toneladas de bunker (combustível marítimo) e das 40 toneladas de diesel. A operação pode ser iniciada hoje ou no decorrer do restante da semana. A Capitania estava ontem aguardando a definição de um local para posterior armazenamento do produto para marcar o início da remoção do óleo. Conforme o capitão-dos-portos, capitão-de-mar-e-guerra Carlos Alberto Moreira Gouvêa, para a ação, todas as medidas de prevenção estão sendo adotadas, como a instalação de barreiras de contenção no entorno do navio. O Guarapuava inclusive sofreu inspeção de técnicos do Port State Control visando à operação. O óleo da embarcação turca também foi submetido à análise para verificar a qualidade. Para que o navio possa ser ancorado em uma área de fundeio, precisa estar sem óleo para não oferecer riscos ao ambiente. Em 3 de dezembro, a Capitania dos Portos havia estabelecido prazo de 90 dias para o armador (proprietário da embarcação) providenciar o salvamento do Düden, o que inclui ações como esta. Como ele não adotou nenhuma medida até agora, a Marinha resolveu providenciar a retirada do óleo. No entanto, o armador terá que ressarcí-la desta e das outras despesas decorrentes da intervenção da Autoridade Marítima no caso. Do contrário, o navio entrará em processo de perdimento e será leiloado ou incorporado aos bens da União. O Düden incendiou em alto-mar no início da madrugada do dia 22 de novembro, quando estava a 260 quilômetros do litoral norte, na altura de Tramandaí. Um tripulante morreu e 22 sobreviveram.(Fonte: Jornal Agora/Rio Grande,RS/ Carmem Ziebell)


    GHT     Jan de Nul     Antaq
             

Hidromares

 

 

Anuncie PN

 

  Sinaval   Assine Portos e Navios