Wilson Sons

Operadores logísticos contrataram mais de 13 mil profissionais em 2021

Os maiores operadores logísticos (OLs) do país, filiados à Abol - Associação Brasileira dos Operadores Logísticos, contrataram, aproximadamente, 13 mil novos colaboradores em 2021, segundo levantamento inédito feito pela entidade. A maioria (53,8%) apontou também que foram admitidos mais profissionais do que em 2020.

O número acompanha o crescimento de contratações no setor de logística, que subiu significativamente durante a pandemia do coronavírus. Apenas nos primeiros cinco meses do ano passado, houve um incremento de 37% em vagas abertas, de acordo com o Banco Nacional de Empregos (BNE).

A necessidade da criação de uma cadeia de distribuição de insumos de saúde e o aumento das vendas online impactou o número de contratações no país. No entanto, no caso dos OLs, o e-commerce não foi o principal motivo do recrutamento, conforme garantiram 61,5% das empresas que participaram da pesquisa

PUBLICIDADE

Rimac


O resultado também revela que os OLs optaram por contratar mais pessoas em caráter permanente, oferecendo mais estabilidade aos seus funcionários. Enquanto 61,5% deixaram claro que admitiram novos funcionários para vagas efetivas, outros 38,5% disseram que parte das contratações feitas no período foram para funções temporárias. As principais áreas com mais admissões em 2021 seguem sendo a de logística, transporte e operações (84,7%), e a administrativa (15,4%).

E a tendência é de que o cenário continue promissor em 2022. Entre as associadas à Abol, 92,3% pretendem abrir novos postos de trabalho este ano. No entanto, apesar das perspectivas positivas, as empresas (84,6%) sentiram falta de mão de obra qualificada durante os processos seletivos, sobretudo em um momento em que a tecnologia integra parte importante dos investimentos e de planos de expansão.

“O nosso levantamento revela que 76,9% dos OLs tiveram dificuldade em encontrar profissionais com conhecimento técnico pleno. Para os 23,1% das empresas que preferem qualificar os funcionários internamente, isso pode não ser um entrave. Mas outros 69,2%, a maioria, que buscam profissionais qualificados e prontos para assumir os cargos ofertados, podem ter alguma dificuldade na hora de preencher as vagas”, explica a diretora executiva da Abol, Marcella Cunha.

Marcella Cunha lembra ainda que as contratações deverão ser uma constante, diante das novas demandas apresentadas ao setor e dos frequentes investimentos feitos pelos operadores para manter ou aumentar a competitividade.

“A pandemia antecipou um processo de transformação que ocorreria de forma um pouco mais lenta e gradual. Naturalmente, as admissões temporárias já acontecem, devido às datas sazonais, porém o planejamento estratégico das companhias está exigindo ainda mais colaboradores permanentes que participem do crescimento das empresas”, disse Marcella.

Além de mais oportunidades de trabalho, o salário base também vem crescendo, em torno de 4%, nos últimos quatro anos. É o que aponta a quinta edição do Estudo Setorial Abol encomendado à consultoria organizacional Korn Ferry, realizado entre agosto e dezembro de 2021 e que contou com a participação de operadores logísticos filiados à associação.

O material traz informações detalhadas sobre práticas e políticas de remuneração, considerando 221 cargos e posições, desde presidente até cargos operacionais.

Em relação à idade dos trabalhadores, a variação entre as contratadas do sexo feminino ficou entre 30 anos, a idade média dos profissionais do setor operacional, e 46 anos, para a presidência. No sexo masculino, a variação foi entre 33 e 51 anos, nas mesmas funções.


Pesa

        Jan de Nul     Antaq
             

Tche Digital

 

 

Anuncie PN

 

  Sinaval   Assine Portos e Navios