Wilson Sons divulga primeiro relatório de sustentabilidade

Divulgação acontece seis meses após a chegada da empresa ao Novo Mercado da B3. Entre as iniciativas está a redução de emissões de CO2 com a construção de novos rebocadores

A Wilson Sons divulgou, nesta quinta-feira (5), seu primeiro relatório integralmente dedicado às ações de sustentabilidade da companhia, que tem mais de 180 anos de atuação no mercado. A divulgação acontece seis meses após as ações da Wilson Sons começarem a ser negociadas no Novo Mercado da B3 (PORT3).

“A divulgação deste relatório voltado especificamente para o tema de sustentabilidade demonstra o amadurecimento da Wilson Sons em relação à agenda ESG, que ganha cada dia mais relevância no cenário mundial. Esta é uma evolução da nossa jornada, que certamente terá novos passos ao longo deste ano, gerando ainda mais valor para nossos investidores e demais stakeholders”, afirma Fernando Salek, CEO da Wilson Sons.

O relatório de sustentabilidade apresenta ações desenvolvidas ao longo de 2021. A Wilson Sons relacionou quatro temas ambientais como mais relevantes para a companhia: emissões e mudanças climáticas; energia; recursos hídricos e resíduos sólidos; e impacto nos ecossistemas marinhos. Como forma de reduzir o impacto de suas atividades no meio ambiente, a companhia vem identificando oportunidades de descarbonização de sua matriz energética.

Desde 2014, a companhia publica voluntariamente seu inventário de emissões de gases de efeito estufa (GEE). Em 2021, a empresa foi certificada no selo ouro do GHG Protocol, programa brasileiro que tem o objetivo de estimular e apoiar corporações na elaboração e publicação de inventários de emissões de gases do efeito estufa.

PUBLICIDADE

Rimac


Na busca por fomentar a economia de baixo carbono, a Wilson Sons deu início a uma série de medidas e adotou tecnologias para reduzir o consumo de combustível e as emissões de sua frota de rebocadores, principais responsáveis pela emissão de gases de efeito estufa na companhia. Entre estas ações, estão as atividades da única Central de Operações de Rebocadores (COR) do Brasil, o desenvolvimento de algoritmos de otimização de despacho, os programas de incentivo para tripulações que superem as metas de eficiência operacional, e a construção de seis novos rebocadores com novo design do casco, que permite maior eficiência operacional com menor consumo de combustível.

Os novos rebocadores trarão pela primeira vez ao Brasil um conceito inovador para o casco das embarcações, que permite uma redução estimada de até 14% nas emissões de gases de efeito estufa, na comparação com a tecnologia anterior, em função da maior eficiência hidrodinâmica. Já a COR desde a sua criação há mais de uma década sempre contribuiu para o controle e eficiência da movimentação dos 80 rebocadores da frota. Os deslocamentos são realizados somente quando necessário, com o equipamento ideal, e em velocidade ótima, maximizando eficiência energética e consequente controle de emissões. Com o desenvolvimento de um módulo usando tecnologia de Inteligência Artificial, a COR contribuirá ainda mais para uma operação com um menor consumo de combustível.

A companhia também passou a incluir em sua matriz de riscos a identificação e gestão de ameaças e oportunidades relacionadas às mudanças climáticas. A Wilson Sons iniciou a avaliação dos riscos e das oportunidades ligadas à economia de baixo carbono, avaliando cenários, práticas atuais e projeções futuras para os negócios da companhia, seguindo a metodologia TCFD (Task Force on Climate-Related Financial Disclosures).

No Tecon Salvador, desde 2015 um programa reutiliza toda a água residual de lavagem de equipamentos. Em 2021, a unidade reaproveitou mais de 2.000 metros cúbicos de água. Além disso, para gerenciar a água com eficiência, o terminal conta com um sistema de monitoramento remoto que permite controlar o volume de consumo e possíveis vazamentos.

Já no Tecon Rio Grande, a companhia coleta e trata a água gerada pelo do uso de equipamentos de ar-condicionado, além de contar com sistemas de captação de águas pluviais. O terminal também possui ainda um sistema que retira e trata o óleo da água gerada na lavagem de equipamentos para futura reutilização.

No último ano, a companhia apoiou mais de uma dezena de projetos de responsabilidade socioambiental, representando um investimento de quase R$ 4 milhões, considerando patrocínios via leis de incentivos e verba direta. Ao todo, foram beneficiadas mais de 250 mil pessoas, em diferentes regiões do Brasil. Além disso, desempenhou importante papel na geração de emprego e renda, em um ano especialmente sensível para o mercado de trabalho. A companhia, que desenvolve uma série de práticas de incentivo à educação continuada entre outras ações voltadas para seus colaboradores, também conquistou a certificação Great Place to Work, como uma das melhores empresas para se trabalhar.


Pesa

    AAPA     Jan de Nul     Antaq
             

Tche Digital

 

 

Anuncie PN

 

  Sinaval   Assine Portos e Navios